Luís Ronaldo Martins Angoti

Luís Ronaldo Martins Angoti

Colaborador

Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil com experiência em fiscalização e gestão de Fundos de Pensão. Graduado em Direito e Engenharia Agronômica. Pós-graduado em Direito Administrativo e em Direito e Processo do Trabalho. Mestre em Direção e Gestão de Planos e Fundos de Pensão (Universidad de Alcalá – Madrid). Profissional certificado pelo ICSS. Membro da Comissão de Previdência Complementar da OAB-DF. Autor de diversos artigos sobre o Regime de Previdência Complementar. Organizador do Livro \"Direitos dos Servidores Públicos - Previdência, Remuneração e Carreira\". 1. ed. Brasília: FENAFISP, 2005. Foi Gerente de Planejamento e Riscos na Funpresp-Exe, responsável pela proposição e execução da Política de Riscos e Controles Internos, e pelo Planejamento Estratégico da Fundação. Conduziu a Normatização e o Mapeamento de Processos, e coordenou diversos Comitês Técnicos da Funpresp-Exe. Foi Assessor de Controle Interno da Funpresp do Judiciário. Na Previc foi Coordenador-Geral da Diretoria Colegiada, responsável pela condução do processo sancionador/julgador; Coordenador de Autorização para Funcionamento de Entidades e Planos, e Coordenador-Geral de Autorizações de Regulamentos, Estatutos e Convênios de Adesão. Exerceu ainda a função de Diretor de Análise Técnica - Substituto. Foi Conciliador na Comissão de Mediação e Arbitragem da Previc. Servidor Público ingresso em 1997, é participante da Funpresp desde 2014, tendo optado pela migração para o Regime Complementar. Atualmente é Conselheiro Fiscal da Funpresp-Exe e Coordenador-Geral de Estudos Técnicos e Fomento da Previc.

Acesse o currículo lattes

O Instituto

Acompanhe as principais e mais recentes
informações sobre previdência
complementar e saúde suplementar

Instituto de Previdência Complementar e Saúde Suplementar (IPCOM)

O Instituto Brasileiro de Previdência Complementar e Saúde Suplementar (IPCOM) é uma associação civil sem fins lucrativos, de caráter científico, criada com a finalidade de promover o debate sobre os sistemas de previdência complementar e saúde suplementar.

O processo de envelhecimento da população brasileira, aliado à queda das taxas de natalidade, tem pressionado cada vez mais as finanças públicas no sentido de promover condições mínimas de dignidade para os cidadãos mais necessitados, especialmente para as pessoas em idade avançada.

Nesse cenário, a previdência complementar e a saúde suplementar visam oferecer proteção para além do mínimo oferecido pelo Estado, possibilitando a manutenção do padrão de consumo do trabalhador ao longo de toda sua vida.

O IPCOM reúne especialistas da área jurídica, economistas, atuários, profissionais da área de investimentos, entre outros, com a finalidade de buscar o desenvolvimento e o fortalecimento desses sistemas, com visão interdisciplinar, posicionando-se de forma técnica e independente sobre essa temática.