Pílula I - Educação Previdenciária Sempre!

16 Mar 2020

 

Pílula I - Educação Previdenciária Sempre!

"Sonhe com o que você quiser. Vá para onde você queira ir.Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vidae nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldadespara fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. Eesperança suficiente para fazê-la feliz." - Clarice Lispector

2020 começou em estágio de ebulição! Em menos de 10 dias muitas das nossas promessas, de final de ano, já foram quebradas. Como exemplo: Nós que congraçávamos a poucos dias com a pombinha da paz e já botamos fogo no parquinho num zap, melhor dizendo tuite, já estamos num clima de quase guerra. Esse exemplo pode não ser o mais adequado, visto que prometemos manter a dieta e/ou não brigarmos no trânsito, mas, devido à falta de papas na língua, serve de reflexão.

Para que nossos projetos não fiquem ao sabor dos ventos é fundamental planejar, estabelecer metas de curto, médio e longo prazo e traçar as rotas para ir percorrendo a jornada, utilizando os três "Ds" - discernimento, determinação e disciplina, até alcançá-las. 

Motivar e integrar seu time, sim todos nós temos um time (família, colaboradores, amigos ou grupo social), criar pontos de controle e medidores adequados aos objetivos e arregaçar as mangas. Isso exigirá 80% de inspiração e 20% de transpiração, se bem dosados. Não será fácil, mas não precisa ser chato ou algo mecânico. Faça como nos filmes americanos de casamento, percorra todas as etapas (ache seu companheiro(a), peça em casamento, visite a família, escolha seus padrinhos, prove os doces, escolha a decoração, faças as inúmeras reuniões familiares, conquiste o perdão e, antes de dizer o sim, faça uma bela despedida de solteiro, de preferência, em Las Vegas).

Essa introdução foi a forma que eu escolhi para dizer a importância de se preparar para a tão sonhada aposentadoria. Isso mesmo! É fundamental percorrer essa jornada com qualidade, se preparar, não ir de peito aberto para essa importante etapa da sua vida. Até porque, como nos disse a Clarice Lispector, você possui apenas uma vida. E ela só acaba na hora que São Pedro nos chama, até lá temos que fazer tudo para aproveitá-la e realizá-la com felicidade.

Não importa a sua idade, ainda é tempo. Ao menos para se preparar psicologicamente para esse ato individual e tão importante da sua vida. Como nos ensina a terapeuta Cecília Xavier, temos que organizar os nossos vários domínios de forma a preservar a qualidade de vida.

Pelo ponto de vista da renda, saibam que ficou mais difícil se aposentar no Brasil. A reforma, recém lançada pela PEC 103/2019, vai nos demandar mais anos de batente e, vai entregar uma conta que irá gerar uma redução média de cerca de 32% nas nossas aposentadorias – considerando aposentadoria do trabalhador e pensão aos dependentes, quando houver.

Para você que trabalha em uma empresa que patrocina plano de previdência privado segue a letra, aumente o seu esforço contributivo, acredite que não há maior ganho financeiro do que o ganho da contribuição de sua empresa. Contribua até o limite que a sua empresa acompanhe. Além da contribuição da sua patrocinadora, o ganho tributário e a rentabilidade obtido pelo seu plano terão um papel muito importante para preservar ou prover uma renda mais adequada para a sua aposentadoria. Como diria o profeta, é hora de orar e vigiar. Acreditar no plano privado é fundamental, assim como também, cobrar os gestores e representantes pela gestão de qualidade e suas entregas.

Como não existem milagres na economia e a reforma vai reduzir a renda paga pelo INSS, contar com uma previdência privada faz toda diferença. Para que ela seja efetiva e complemente adequadamente a sua renda, será muito importante sempre entender os benefícios pagos por seu plano, manter os regulamentos e relatórios do plano sempre ao seu alcance e cobrar os gestores a sempre prestar contas. O sempre, colocado com ênfase nesse parágrafo, é verdadeiro e deve ser entendido como uma via de mão dupla: não adianta apenas cobrar as informações e não as acompanhar ou lê-las. Mantenha-se informado e, caso não entenda, cobre assessoria da sua Fundação.

Mais do que fazer contas individuais, esse texto busca provocar o interesse de todos para com o futuro de alguém muito importante: você! Por fim, seguem alguns pitacos que podem impulsionar o seu futuro:

1) Se você faz a declaração completa do IRPF, busque contribuir até o teto de 12% da sua renda anual.

2) Se tiver outra renda, além da sua empresa, contribua sobre ela também, lembre-se de que o seu orçamento atual já as considera.

3) Sempre acompanhe os resultados do seu plano, seja pelo extrato mensal, pelos informes periódicos, pelo relatório anual ou apresentações de prestação de conta – as melhores práticas demonstram que quem acompanha não tem surpresa com os resultados.

4) Mantenha os regulamentos do plano para o qual contribui em seu poder ou cobre da entidade que o envie sempre que houver alterações. Neles estão as regras dos seus direitos e obrigações.

5) A partir dos 50 anos, cobre assessoramento sobre o seu plano de benefícios, saber os seus direitos e ir organizando as suas finanças será fundamental para saber qual é o valor projetado da sua aposentadoria.

6) Se você é casado e tem dependentes vitalícios, zele pelo futuro deles. Ao definir a sua renda de aposentadoria pense em preservar o valor da pensão para as pessoas que fazem a sua vida ter sentido.

No mais, vocês devem ter visto as peças de cerâmica que dão graça e leveza a esse texto. Os dois de fora são Toritos de Pucára, peruanos e os dois centrais são Bois Mamões, catarinenses, e, embora de culturas e países distintos representam folguedos de boi e simbolizam fartura, proteção e abundância.

Ambos além de trazer boas vibrações, cobram de seus donos o zelo e esforço para a realização dos pedidos de obtenção de fartura. Incentivam a passagem da cultura a longo prazo, passando de pai para filho, o esforço laboral para realizar a lavoura, a construção de residências, pela manutenção dos empregos e servem, inclusive, para poupar, como pode ser visto no dorso do Boi Mamão.

Nesses dois casos desejo que nesse ano, 2020, estejamos mais protegidos e tenhamos abundância nas nossas economias. Estendo, também, a chamada para que, além dos bons fluídos, possamos percorrer o nosso planejamento previdenciário para que, ao final das contas, não fiquemos ricos, mas possamos manter os nossos domínios e exercê-los com qualidade. A renda de aposentadoria irá ajudar muito nesse quesito.

Saudações,

(1) Economista com mestrado em gestão de planos de previdência pela Universidad Alcalá da Espanha, pós-graduado em Banking pela Universidade Mackenzie, com passagens pela direção das seguintes entidades: Fundação Libertas, IPREV/DF, PREVIC, EFPConhecimento, IPREM/SP, Banco do Povo e SESE/Bancários SP.